Amando até os dentes, armado de poesia

Deixe um comentário

André Pessoa

Estou amando até os dentes esta desmelancolia prateada que vem de um sorriso qualquer, negro, num dia sem trem.

Estou armado de poesia contra tudo que se chama medo, ignorância, insigniplicância que proclama, mas policia o sol.

Estou recomeçado e branco, inverso ao me filiar ao vento, sem o sexo frio da culpa.
Pardopnaptopsia gótica da noite!

Estou estando e sereno, somado àquilo da raça.
Um pintor legal merecia transar minha caleidoscopia.

Estou na quinta estrofe, sem pai nem mãe no mundo.
Agradeço a quem, por amor, traduzir meu mergulho no mar.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s